Páginas

quinta-feira, abril 27, 2017

Tudo bem, a vida segue ... não muda nada


Bem, aos meus leitores, leitoras e amigos. Estou em casa, fui atendido por uma médica da família, agradeço muito a fineza da ligação que recebi do amigo Ruderson Mesquita e das centenas de ligações, apps, faces ... 

Honestamente, não sei o que houve. Vizinhos me disseram que estas duas pessoas que me atacaram estavam desde cedo nas imediações. Foram vistos por dois vizinhos. 

A impressão que eu fiquei é que a ideia era apunhalar meu pescoço, pois o primeiro portava uma arma branca, estilo navalha ou algo similar. Ao afastá-lo, foi onde cortei meus dedos. O segundo, foi uma reação já de pouco efeito, embora tenha atingido a parte superior do meu olho. Eram dois homens. 

Eu estava preparado. Esperava por um tiro. Não por uma ataque de alguém que passa por simples transeunte. De certa forma, eles também foram surpreendidos.

Acusar a quem?

Impossível. 

Como advogado, estou envolvido no caso do assassinato de Alacir Dessoe e sua esposa. Um caso escabroso, que a cada dia se passa fico perplexo com as informações que me chegam. Eu respeito demais o trabalho da Polícia, mas - pessoalmente - tenho um juízo formado neste caso: tem executores, tem um staff intermediário e têm os mandandes. Eu estou no caso. Tenho procuração nos autos, da família; e é meu dever, como advogado, apurar e exaurir todas as versões. E vou ter chances de mostrar o que sei e o que tenho. 

Também no Capão do Cipó, estes perfis falsos no facebook, cuja denúncia coube a mim - como advogado - realizar perante o poder judiciário, me cheira à conexão com os criminosos.

Um detalhe me chamou muito a atenção. Como um fake sabia quem me passava as informações ultra-reservadas sobre os detalhes do assassinato?

Isso é, no mínimo, estranho. Para ficar nisso. Eu sei quem são as pessoas. E eles sabem que eu sei.

Por outro lado, ninguém sabe(ou sabia) eis que o caso está sendo conduzido absolutamente em sigilo. Mas na Polícia Federal, em São Borja, o advogado que atua no caso de uma compra de votos, onde houve ameaças, intimidações, a ponto de obrigarem um peão de fazenda gravar um vídeo se desmentindo, sou eu. 

Sinceramente, não sei com que interesses estou mexendo nesse caso e nem posso afirmar se existe conexão, exceto que na noite de hoje o autor das denúncias esteve em meu escritório e derivou-se daí uma ligação minha para a Polícia Federal de São Borja. 

Quanto a denúncia feita pela coligação SOMOS TODOS SANTIAGO, na Polícia Federal, não partiu de mim. 

Eu entro na história de forma diferente. Um dos denunciados pela coligação, devido a matérias que escrevia contra Guilherme Bonotto, na eleição, eu advoguei contra ele, eis que procurador jurídico da empresa de Bonotto. 

Mas isso se deu na Justiça do Trabalho. A advogada dele era Dra. Thaiana Souza Munaro. O que acontece, de concreto, mas isso não me configura ameaça, não me entra na minha cabeça, é que eu, pós desacerto deste com Thiago Gorski, esse passa a me procurar, sabendo que eu era advogado de Guilherme. E esteve realmente em meu escritório relatando aspectos das dificuldades que estava enfrentando devido a negativa de acordo, mostrou-me áudios e conversas com o staff do PP e pediu-me apoio para ir até o MP. 

Este fato me levou a procurar Guilherme Bonotto, por questões éticas, e expus para ele todos os fatos acontecidos. 

Por fim, é bem conhecido da sociedade, de algumas pessoas, que um áudio, de minha autoria, uma conversa reservada no whattsapp com um amigo, de forma intimista, violando minha privacidade, foi divulgada nas redes sociais. 

Sinceramente, eu não sei que fatos podem levar ou haver conexão, nem sei se existem. Pode ser mera fatalidade e eu ter sido vítima de um assalto, de uma tentativa de assalto, pode alguém estar querendo minha morte, o que é natural, devido aos interesses contrariados de muitos (e não são poucos). Pode ser medo de eu diga o que mais sei de muita coisa que ocorrem nos bastidores ... Pode ser quem menos se imagina, mas eu registrei, nos autos de um processo, que um certo fulaninho falou que teriam que dar um jeito em mim. Aliás, o episódio coincidiu com o incêndio do carro de Rafael Nemitz. O detalhe é que eu também tenho um carro branco da mesma marca do do Rafael...não sei, pode ter sido erro de quem veio intimidar e a coincidência de sermos blogueiros, pois até hoje nada foi descoberto. 

Creio que tudo isto é inerente a minha profissão. Eu não vou mudar, não vou deixar de andar por ando. Curioso é que nesta hora eu sempre saio para ir lá no Batista jantar, mas também pode ser coincidência. 

Não estou acusando nada, nem insinuando nada, mas a verdade é que uma pessoa ligada umbilicalmente a mim, deseja minha morte a qualquer custo, ela faz o possível e o impossível, manipula de todas as formas. Usou de todos os meios para me destruir, para destruir minha reputação, foi orientada por um advogado local, que a chamou em seu escritório e a orientou como proceder. 

Por outro lado, por incrível que pareça, este fake do Capão do Cipó, é o mesmo que já levantou acusações contra mim no facebook e também foi alvo de uma ação judicial minha contra o facebook do Brasil, em 2015 ... e ele sempre meteu a Nina no meio. Meteu naquela ocasião e voltou a meter, agora. Eu sei de quem se trata, ele deixou muitos rastros. 

As intimidações contra mim começaram, agora, com despachos na porta do meu escritório ... os mesmos de sempre. 

Estou bem, medicado, amanhã tomo as providências legais, policiais ... 

Eles viram, nessa noite, que não vai ser fácil. Como viram. 

Pode ser que logo mais eu esteja num caixão. Mas isso é da vida. Medo? Eu não vou mudar um milímetro, para o azar deles. 

Crime passional? Impossível. Sequer tenho namorada. Ninguém me quer. Até estou procurando alguém para passar este inverno e os dias que me restam. Mas do jeito que as coisas vão ... Paciência. Seja feita a vontade de Deus. 

A vida segue. E eu não mudo. 





quarta-feira, abril 26, 2017

Polícia Federal avança na oitiva de testemunhas do "Caso Unistalda"

A Polícia Federal segue ouvindo testemunhas do "caso Unistalda". 

Falei agora a noite com o Policial Federal Olivier para mudar a data do depoimento do senhor Honorato Ferreira, então marcada para amanhã.

Como atuo  como Procurador do nosso grupo de Unistalda, sigo no caso, e acompanharei mais este testemunha do imbróglio que se segue e cujos desdobramentos ainda não estão claros para nenhum dos lados. 

Minucioso, detalhista, rigoroso este inquérito. A PF foi a fundo e trabalha com uma seriedade ímpar para identificar se houve mesmo, ou não, compra de votos. 

Onde está o covarde, falastrão, do Marcos Rigon, que sua página sumiu do facebook?

Não adianta os covardes se esconderem embaixo da cama. Escrever no anonimato é coisa de homens sem caráter, de gente porca, sem honra, sem dignidade. 

O que houve que esse tal Marcos Rigon sumiu com sua página do facebook?

Adianta? O IP agora será apresentado pela Justiça e você, caro covarde, vai ficar frente a frente comigo e com outros tantos homens que não se escondem no anonimato para dizerem o que pensam. 

E mais: eu vou apontar mais nomes. Se preparam porque o serviço está sendo completo. 



MOSTRA A CARA SEU COVARDE !!!

Pedido Constitucional e legal para identificação de fake com página no facebook. Protocolado no Poder Judiciário

EXCELENTÍSSIMO(A) SENHOR(A) DOUTOR(A) JUIZ(A)
VARA CÍVEL DA COMARCA DE SANTIAGO-RS



Giovani Luiz Diedrich, servidor público municipal, Identidade funcional nº xxxxxxx, RG xxxxxxxxxx, CPF xxxxxxxxxx, com endereço na xxxxxxxx, nº xxxx, Centro, Capão do Cipó, procuração em anexo, doravante denominado apenas de “autor”, por seu Advogado que esta subscreve, Júlio César de Lima Prates, OAB/RS 87.557, com escritório na Rua Barão do Ladário, 1836, Santiago, RS, 97.700.000, oab.rs.advogadoprates@gmail.com, endereços que fornece para efeitos do disposto no artigo 287 no NCPC, vem, respeitosamente, a presença de Vossa Excelência, em regime de plantão, propor


AÇÃO ORDINÁRIA COM PEDIDO DE ANTECIPAÇÃO DE TUTELA


em face da empresa FACEBOOK SERVIÇOS ON LINE DO BRASIL LTDA, pessoa jurídica de Direito Privado, inscrita no CNPJ sob nº 13.347.016/0001-17, com sede na Rua Leopoldo Couto Magalhães Júnior, nº 700, 5ª andar, Bairro Itaim Bibi, na cidade de São Paulo-SP, CEP 04.542.000, pelos seguintes fundamentos de fato e de direito:


DOS FATOS:


É público e notório, em nossa região, a má utilização das redes sociais, em especial, o FACEBOOK, havendo, inclusive, uma manifestação pública do Juiz Rafael Peixoto (então na Comarca de Santiago) acerca da necessidade de prudência em comentários, quando se atacam a intimidade, a honradez e a dignidade das pessoas.

O facebook permite que qualquer pessoa, usando um e-mail (mesmo que seja falso) ou um número de celular, abra uma página. O que acontece é que virou um verdadeira escárnio em todo o país, a criação de perfis falsos, onde pessoas escondidas no anonimato proferem calúnias, injúrias e difamações, sem o que os acusados possam sequer usar seus direitos constitucionais fundamentais do contraditório e da ampla defesa, pois não sabem quem são os autores do perfil falso.


No caso em tela, surgiu no Capão do Cipó, um tal Marcos Rigon, conforme demonstramos com a documentação anexa (print) do seu próprio perfil.

Vejamos, brevemente, o que sustenta e compartilha abertamente na rede social:

(TRECHOS RESERVADOS AO PODER JUDICIÁRIO SOB SIGILO)

Anexos, todas as matérias da página do fake Marcos Rigon, que sustentam o que afirmamos.


DO DIREITO



A CRFB/88 tutela os direitos da personalidade, Artigo 5º, V e X, que inclui a honra, proteção da imagem, a vida privada e a tutela civil dos direitos da personalidade que se fundamenta no princípio da dignidade da pessoa humana, artigo 1º, III, do mesmo diploma constitucional.

É claro que a CRFB assegura o direito de expressão, mas estes direitos não são absolutos e a pessoa que escreve é responsável a responder por seus atos; no caso do autor, MARCOS RIGON, trata-se de um fake, com acusações gravíssimas contra o autor e autoridades, até contra este advogado.

Marcos Rigon, devido a todas as buscas, inclusive no sistema de consultas integradas, é obviamente um Fake ("falso" em inglês) é um termo usado para denominar contas ou perfis usados na Internet para ocultar a identidade real de um usuário.

Nossa CRFB-88 , Artigo 5º - IV e V – assevera que é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato. Demonstra também que é assegurado o direito de resposta proporcional ao agravo.

A CRFB/88, em seu artigo 220, parágrafo 1º, estabelece como limites textualmente, sem outra interpretação expansiva ou restritiva: a vedação do anonimato, o direito de resposta, a indenização por danos morais e materiais bem como o direito à honra e à privacidade (a intimidade, a vida privada e a imagem).

A vedação constitucional à  proibição do anonimato visa assegurar a identificação do criminoso, propiciando a garantia da responsabilidade civil por danos materiais ou moral. Na esteira do mesmo raciocínio, Excelência, o direito de resposta é uma espécie de contradito a informação falsa ou de realidade adulterada. É o exemplo que Marcos Rigon e todas as acusações que faz contra o Autor desta ação.

( ...)

(...)

(...)

Acaso não seria ele o mesmo que informou, com antecedência, um dia antes dos assassinatos, que uma bomba cairia sobre o Capão do Cipó?

Excelência, a honra, relaciona-se com a valoração da dignidade da pessoa humana, instituto, aliás, embora insculpido na CRFB, já era regulado pelo Código Penal em seus artigos 138 e 140. Os direitos de proteção  à imagem, intimidade, à vida privada, são direitos à privacidade da pessoa humana. A intimidade relaciona-se com a proteção do modo de ser, da personalidade; já a vida privada é um leque de proteção mais largo  que a própria intimidade, eis que protege aspectos mais reservados da personalidade da pessoa humana. Ora, o fake em questão, ou qualquer outro fake, que usa o anonimato para ofender a honra, a dignidade e vilipendiar o respeito entre as pessoas de uma sociedade, merecer ser identificado. Uma coisa é afirmar um fato e sustentar, sabendo quem é o autor. Outra coisa, é acusar e não sabermos quem está acusando, o mesmo raciocínio vale para esta outra ação que estamos protocolando “linda capão do cipó”, onde também pedimos identificação dos autores e do IP.

Expedientes como esse do Senhor MARCOS RIGON abundam e proliferam-se e só o Poder Judiciário do nosso país é quem pode contribuir para pôr um fim nessa prática nefasta e nojenta.

Para o FACEBOOK do Brasil é fácil o Poder Judiciário exigir o IP - IP quer dizer "Internet Protocol" (em português, protocolo de internet). Em resumo, é um endereço formado por um conjunto de números que identifica um dispositivo na rede. Com base nesses dados, é possível localizar o internauta que cometeu um ato ilícito.

O caso em questão é muito simples, basta o Poder Judiciário pedir ao FACEBOOK DO BRASIL que forneça o Internet Protocol do fake MARCOS RIGON e ele estará identificado. É claro é uma pessoa da cidade do Capão do Cipó, é claro que é alguém de nossa convivência. Ademais, a prática do anonimato está ferindo a própria Constituição do país.

DA ANTECIPAÇÃO DE TUTELA

Claramente presente os elementos indicadores da antecipação de tutela, eis que presente a fumaça do bom direito e o perigo na demora em retirar-se tais postagens apócrifas, pois elas se espalham na velocidade da rede mundial de computadores, expressa na telemática e suas múltiplas redes sociais.

O NCPC, em seu livro V, trouxe as denominadas tutelas provisórias, que englobam as tutelas de urgência e as tutelas de evidência, agrupando as tutelas do gênero satisfativo com as cautelares. Isto está expresso no artigo 294 do NCPC, que assevera que ambas as tutelas podem ser cautelar ou antecipada.

DO PEDIDO COM ANTECIPAÇÃO DE TUTELA

1 – Adotando o pedido de tutela antecipada, que se determine, imediatamente, ao facebook serviços on line do Brasil, pessoa jurídica de direito privado, inscrita no CNPJ nº 13.347.016-0001-17, com sede na Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, nº 700, 5º andar, bairro Itaim Bibi, cidade de São Paulo-SP – CEP 04.542-000, a retirada imediata do fake MARCOS RIGON.

2 – Que o facebook do Brasil entregue ao Poder judiciário o número do IP registrado por ocasião da criação do fake, para que possamos exercer os direitos legais e constitucionais das pessoas agredidas nas postagens e alvo de achincalhe nas redes sociais.

2.1 Ademais, se isso for feito, tudo terá um forte exemplo didático-pedagógico para criminosos, que se escondem no mais vil anonimato, que usam acusarem eventuais desafetos, proferirem despautérios e – sobretudo – para agirem no anonimato covarde e inconstitucional.


3 – Que o Facebook do Brasil se manifeste nos autos, apresentando o número do IP de onde foi registrado o fake, que usou seus serviços e seja condenado em honorários sucumbenciais, sob pena de revelia e confissão.

4 – Custas, na forma da lei.

DAS PROVAS

Protesta provar o alegado usando todos os meios de provas admitidas em nosso ordenamento jurídico, especialmente as provas documentais e depoimentos pessoais.

DO VALOR DA CAUSA

Dá-se a presente causa o valor de alçada para efeito meramente procedimentais.


N.T.P.D


Santiago, 19 de março de 2017.


Advogado Júlio César de Lima Prates,
OAB – RS 87.557


terça-feira, abril 25, 2017

As limitações do Direito e a minha precariedade no mundo jurídico sem a concepção jurígena-sociológica

A tradição aristotélica ocidental forjou um pensamento essencialmente mecânico, dentro de uma esquematização em que tudo precisa ter um enquadramento lógico formal. Lógica dialética é um bicho de sete cabeças.

É claro, não existe preparo para entender o pensamento dialético, com suas contradições, teses, sínteses e antíteses.

Ademais, esse pensamento é avesso a qualquer crítica, a concordância acrítica é questão essencial para o entendimento do juízo formulatório do raciocínio. Só a partir daí entenderemos os sofismas, os paralogismos e os aporemas.

Dias atrás, participei com um debate com o pessoal da fundação Ulysses Guimarães, que, erroneamente, apresentavam o marxismo como método.

Disse então ao Márcio (que esteve aqui em Santiago ministrando cursos) que o marxismo não era método e que Marx criou seu próprio método, o materialismo dialético. Karl Marx pegou de Hegel a dialética, e desprezou o idealismo, e, de Feuerbach, o materialismo, criando assim o Método denominado Materialismo Dialético, que alguns também chamam de materialismo histórico.

O pessoal da Fundação me perguntou então como seria aplicado o Método. É simples. Em tudo, tudo que envolve as leis da constante mudança, tudo muda e nada fica como está. O próprio Leandro Konder sustentou que um homem não toma banho duas vezes no mesmo rio, porque na segunda vez, nem ele e nem o rio seriam o mesmo. Da mesma forma, a dialética não opera com fragmentos (como fazem os juízes e promotores), a dialética opera com o todo e decorre daí que nada é fechado, definitivo, acabado e absoluto. Tudo é suscetível de mudança.

Pessoalmente, dou pouca importância ao estruturalismo ou ao funcionalismo. Embora, o exemplo de Florestan Fernandes, ao propor um método para estudar uma tribo indígena, isolada na floresta, deveria ser uma fusão da dialética (com suas leis próprias e totalizantes, dentro do enfoque hegeliano) pari passu com o estruturalismo. Pois algo esta dentro, fechado em si mesmo (a tribo), derivando-se daí a fusão desses dois métodos. Aceitável.

A importância de um método, como a dialética, na desconstrução de linhas discursivas é essencial. Por isso, a dialética é profundamente irritante, os mecanicistas do Direito, por exemplo, não suportam o raciocínio dialético. Não sem razão, Carlos Astradas definiu a dialética como "sementes de dragão". A dialética inquieta os conservadores de direita e de esquerda.

Roberto Lyra Filho, ao lançar as bases da Teoria Dialética do Direito, contrapondo-se ao jusnaturalismo e ao positivismo, as principais vertentes epistemológicas do Direitos,  lançou, no Brasil, as bases do direito alternativo, juntamente com Luiz Alberto Warat, Wolkmer, Agostinho Ramalho Marques Neto e a própria Marilena Chauí, que não é advogada, é filósofa.

Esse movimento teve um lado bom, mas trouxe o caos embutido em si mesmo. Até por ser dialético, mas os juízes não sabem operar com a dialética, são dialéticos e não sabem. A questão é simples. Lyra Filho, saudoso Professor da UNB, PHD em Direito, sem querer criou um monstro tentacular em cima do privilégio do justo e do fato social em detrimento da norma.

O que era para ser um prato fino e requintado, virou num angu de farinha de trigo sem tempero. Juízes tem formação mecanicista, são herdeiros de Althusser e Marta Harneker. Porém, sendo mecanicistas, sem saberem, aplicam a dialética.

Está instalado o caos. Quando alguém que conhece Métodos, que sabe o que é Dialética e que sabe apontar as linhas mecânicas na interpretação discursiva das construções sentenciais, tudo vira um caos.

Eu digo isso porque li o manifesto de alguns juízes e desembargadores gaúchos, um documento interno, mas que correu entre toda a comunidade acadêmica gaúcha, onde fica explícito a falta de horizontes acadêmicos acerca do debate sobre o conceito de ideologia. Fiquei com a séria impressão que o autor do manifesto não conhece bem os conceitos e a polêmica mundial que existe em torno destes, do contrário, bastaria balizar o entendimento conceitual (ou dizer: usamos o conceito ideológico no sentido marxista da expressão ou usamos o conceito ideológico no sentido gramsciano). No caso, é óbvio que só cabia o conceito de Chauí e de Marx, foi esse o rumo indicado por Roberto Lyra Filho, seja no livro O QUE É DIREITO ou KARL MEU AMIGO, DIÁLOGO COM MARX SOBRE DIREITO.

Marilena Chauí, a musa da nova escola jurídica, que dá origem ao movimento do direito alternativo, com Roberto Lyra Filho, escreveu um livro "O QUE É IDEOLOGIA", onde ela praticamente reproduz o conceito de Marx, de A Ideologia Alemã. Para ela, ideologia é dominação e afirma que  é um contrasenso falar em ideologia dos dominados, vez que ideologia pressupõe dominação.

Na contramão, mas bem na contramão, o grande teórico italiano Antônio Gramsci, sustentou que todas as manifestações, na arte, literatura, pintura, escultura, dança, música ... são ideológicas, independente de serem produzidas pelas classes dominadas ou dominantes. Imagino que o conceito de Gramsci (me parece que é Concepção Dialética da História) se aproxima muito do conceito de ideia de Hegel, li isso na Pequena Enciclopédia Hegeliana.

Tempos atrás, não faz muito, recebi em meu escritório, aqui no SHOPPING, a visita do grande teórico Doutor em Ciência Política Marcelo Duarte, que me trouxe de presente, um livro em francês, História da Filosofia. Me lembrei do Marcelo agora, justamente por Hegel. Curiosa ilação. A esposa de Marcelo é juíza de direito, se não me engano em Caçapava do Sul.

Formular um raciocínio, partindo de uma premissa absoluta, vicia qualquer debate e contamina qualquer argumentação. Como ninguém parte para o debate, construção ou desconstrução de raciocínios, sem antes estabelecer suas premissas, o debate será sempre viciado ... para não falar mais duramente: frustrado.

O direito se restringe a codificações. Kelsen, para os juízes a quo do Rio Grande do Sul, seria um lunático. Os cursos de Direito não focam nas ciências sociais e sua amplitude. Por exemplo, antropologia é um dos ramos das ciências sociais. Outro dia eu estava numa audiência de família e precisava questionar uma psicóloga arrolada com testemunha pela MP. Aí, levantei a questão da formulação do ego na criança a partir das teorias de epistemologia infantil de Jean Piaget. Puxa, eu estava no exercício de minhas prerrogativas legais e constitucionais e precisava questionar a testemunha, era meu dever e meu direito. Só que a juíza se perturbou profundamente com isso.

Da mesma forma, se os cursos de Direito não privilegiam o estudo de sociologia, filosofia, ciência política, antropologia, lógica, psicologia, semiologia, epistemologia, psicanálise e psiquiatria, nem falo em anti-psiquiatria, a Escola de Magistratura também é falha, porque restrigem o Direito a decoreba de códigos.

Quem conhece um pouco de ciências sociais e sabe usar um Método, e vai advogar, podem escrever: este está fadado ao insucesso, de ser encarado como complicador ... até como lunático e louco. Eles repulsam o que não sabem e não entendem, sem perceber que quem restringe o direito são eles próprios e suas próprias limitações.

Outro dia, tive que rir. Estava numa cidade da região. E uma autoridade me disse que Dialética era a arte de bem racionar ou construir um discurso. Na mesma hora notei a pobreza. Sabe ela o que é polissemia e que uma expressão assume vários significados. Dialética, nos conceitos de língua portuguesa é uma coisa. Agora, nas ciências sociais, é parte de um Método (por favor, não confundam Método com Metodologia). Esse erro demonstra bem o tamanho da limitação acadêmica e teórica que grassa no Rio Grande do Sul e revela bem que os cursos de ciências sociais e jurídicas nada ensinam sobre ciências sociais. Tratam apenas das ciências jurídicas, aliás, que eu até tenho dúvida se é ciência ou ideologia. Uma CLT, um CC ou um CPC é claramente ideologia e não ciência.

É claro, se formos adentrar na psicanálise, na semiologia, nas construções discursivas com Pechet e Althusser, ou filosofia jurídica com um amplo campo especulativo aberto, aí - sim - poderemos falar em ciências.

Por fim, eu gostaria de encontrar alguém com luzes nessa cegueira jurídica institucional que me afirmasse: mas, Júlio, estás errado. Tudo é ideológico.

Aí eu sorriria feliz. Pois finalmente teria achado alguém fora da cegueira e sem as viseiras dos códigos. 

 

segunda-feira, abril 24, 2017

MEC patrocina verdadeiro estelionato educacional, afirma Cláudio Prates Lamachia

 O presidente nacional da OAB, Claudio Lamachia, fez uma crítica contundente ao ministro da educação em seu discurso proferido na noite desta quinta-feira (20), durante a abertura do XXXIX Encontro Nacional de Presidentes de Caixas de Assistência do Brasil (Concad), em Recife (PE).

Lamachia afirmou que “o ministério da educação patrocina mais um verdadeiro estelionato educacional ao permitir a criação dos cursos de tecnólogo e técnico em Serviços Jurídicos”.

O dirigente afirmou que “o MEC mais que se distancia de sua função de zelar pelo rigoroso padrão de qualidade do ensino, abre caminho para a criação de uma classe indefinida de profissionais, criando problemas ainda mais sérios às centenas de milhares de bacharéis em Direito que hoje formam-se e não encontram posição favorável no mercado de trabalho”, destacou.

Lamachia destacou que a OAB já manifestou ao presidente da República sua total contrariedade com a medida e vai judicializar o tema, caso o MEC não reavalie sua posição.

“É preciso garantir a qualidade da formação dos bacharéis em direito. Os cursos técnicos e tecnólogos não são habilitados a formar bacharéis em direito, como já ficou claro em tentativas anteriores de autorizar esse tipo de curso”, ressaltou Lamachia.

Conforme o presidente, a decisão segue o mesmo princípio que ao longo das últimas duas décadas mercantilizou o sistema educacional, colocando o padrão de qualidade de ensino e de reconhecimento aos professores em patamar secundário.

“A educação, especialmente no ramo jurídico, não pode ser tratada pelo Estado como uma simples moeda de troca. Trata-se de direito de cada brasileiro de receber ensino de qualidade, com respeito a critérios técnicos coerentes com a responsabilidade de sua futura atuação para a defesa dos interesses da sociedade, evitando que sejam mais uma vez vítimas de um embuste cruelmente aplicado por quem justamente deveria pugnar pelas boas práticas na educação brasileira”, finalizou o dirigente. 

Fonte: Conselho Federal

A vida, o dia-a-dia, o quotidianus

Um grande escritor brasileiro, não posso citar seu nome nesse contexto, convulsionaria demais a área, respondendo a um apelo interpretativo meu, enviou-me um documento, um texto, via whattsapp, extremamente precioso, rico em detalhes, paródias muito bem construídas e análises de fragmentos amorosos, à Roland Barthes.

É claro, a conclusão: maravilhosa conclusão, tudo está em mim mesmo, segundo ele.

Vamos adiante. 

Ninguém sabe a angústia, angústia boa, que tenho vivido enquanto espero por uma decisão que já saiu do MP, passou pelo PJ e está em vias de ser divulgada. É sobre minha filhinha. Esperei pacientemente.


Há meses postergo uma cirurgia, vivo intensamente cada momento e nunca fui tão feliz com meus amigos e amigas como nos últimos tempos. Uma capotagem, 32 metros de cabeça para baixo, duas pancadas e um coágulo. 

Sexta-feira a noite tive o prazer imenso de reencontrar meu querido Celso Pinto e sua esposa, a Edilce Rigon Pinto. O Restaurante do Batista tem este condão: afora o excelente cardápio, propicia o encontro e reencontro de familiares e amigos. Eu conheço o Celso desde que nasci. É um observador, astuto, inteligentíssimo. Adora política e vem do centro do planeta: Florida. Tinha que ser. O papo foi mais agradável, ainda, com o Fernando Pinto Peixoto e sua esposa. Sem combinar, nos encontramos todas as noites. É o bloco cadeira cativa do Restaurante do Batista. 

Sábado foi outro dia magistral. Meu amigo, querido amigo, chama-me da Kamarada, com K, Doutor Ruy Gessinger, mandou-me os áudios mais lindos e reflexivos de todos os anos de nossa amizade. É um poeta raro, antes de ser um dos nossos maiores juristas. Refletimos muito sobre os ciclos de nossas vidas. 

Ainda no sábado, uma complicação dentária, levou-me a ligar a minha querida amiga Dra. Marta Marchiori. Conversava com a Marta quase só por telefone, não a via há dias.  É sempre a mesma Marta. Nossos assuntos sempre se derivam para a política. Atendeu-me, salvou-me.

A noite, reservei para guardar documentos. Uma carta pessoal do Desembargador Elizeu Torres, extremamente linda e chocante, comentando uma posição minha publicada em minha página no facebook, mas distribuída em nossa confraria, foi impressa em papel cartão e guardada com muito carinho, nos documentos que estou guardando para minha filha. 


Também, fiquei muito grato e achei muito corajosa a posição do Magistrado Vanderlei Deolindo, juiz corregedor do TJ-RS, meu amigo há mais de 20 anos, que me reconfortou com suas posições sempre presentes, embora fosse um desabafo pessoal e uma crítica ao machismo que noto predominar no judiciário gaúcho. Aliás, na esteira destes acontecimentos, e dessas reflexões, tenho tido longas conversas com o Doutor Humberto Shimitz, jurista, oriundo do MP, grande nome da equipe do Ministro TEORI, falecido recentemente, mas que também é Presidente Internacional da Igreja Assembléia de Deus Restauração. Curiosamente, ele me relatava uma disputa judicial paterna, idêntica ao meu caso, do atual chefe de gabinete do Ministro do Trabalho, membro da nossa Igreja, também jurista, e no diálogo ele embutiu a crítica quase irracional ao machismo dominante nas decisões judiciais quando envolve a filha mulher, onde o pai é sempre privado do convívio e a mãe, maniqueisticamente, sempre beneficiada. 


Por outro lado, tenho acompanhado a expansão mundial da Restauração, especialmente na Ásia e América Latina. O Pastor Humberto não é dado a mídias, faz um trabalho silencioso, porém, altamente eficaz e em escala planetária. Dias atrás, recebi um relato dele, no meio de um temporal, no Peru. Deitado em minha cama, fiquei pensando no destemor dele, na abnegação e na seriedade. Estou muito alinhado com esta Igreja, especialmente pelo lado altamente conservador e dos costumes ortodoxos, que pareço que não tenho, mas tenho. Fui batizado na Igreja Evangélica aos doze anos.

Sábado também tive um momento muito gratificante. Eu liguei para a Psicóloga Ana Flores e tivemos uma longa conversa. Porém, contou-me que acabara de desligar o telefone, eis que conversava com o Prefeito Froner e ele havia a dito que estava indo para um momento de oração na Igreja evangélica local e que iria orar por mim, pois notou uma tristeza no meu tom de voz. Achei tão gratificante e tão amável o gesto e a preocupação do prefeito para comigo. E, é claro, a Ana é aquela bondosa, sempre pronta para ajudar, servir, uma pessoa fabulosa, enriqueceu muito, muito, a equipe do prefeito Froner. Aliás, nessa segunda-feira estarei no Capão do Cipó. 



Outro dia minha irmã me contava uma história de minha filha. Estavam numa loja de calçados e Nina gostou muito de uma sandália. Então perguntou para minha irmã: não é muito escandalosa, senão meu pai não vai aprovar

A semana é cheia. Estou com duas ações em face do facebook prontas pedindo a identificação dos respectivos IPs para identificar os autores apócrifos e responsabilizá-los pelos crimes cometidos contra servidores públicos no exercício da função. 

Mas, finalizando este breve relato existencial, meu forte abraço ao amigo Giovani Diedrich, jovem dinâmico, inteligentíssimo, curioso. Sábado, ele ensinou-me coisas que eu desconhecia. Entrou no meu computador, eu aqui em casa, ele, lá no Capão do Cipó, operou todo o sistema do processo judicial eletrônico, com algumas mudanças necessárias, e eu assistindo tudo na minha telinha.

É claro que já sabemos tudo sobre os provedores e IPs.  Mas vamos oficializar. 

Meu amigo escritor, cujo nome não cito para evitar convulsão, disse-me, curiosamente, em síntese, a mesma coisa que a psicóloga Ana Flores me disse ao telefone. São nossos gênios, aprendemos lições de vida e extraímos conhecimento com o convívio.

Cada dia valerá mais a pena.


domingo, abril 23, 2017

Assembléia Nacional Constituinte

Urge, em nosso país, a convocação de uma Assembleia Nacional Constituinte. É preciso repassar nosso país a limpo, rever as caduquices da constituição de 1988 e definir nossas regras para a sociedade do futuro. 

Assinei um manifesto nacional de juristas independentes pela convocação urgente de um processo constituinte. 

É impraticável e será um erro histórico se forem mantidas as mesmas regras eleitorais previstas para 2018.

O judiciário precisa urgente passar por uma revisão total, assim como o MP e as defensorias públicas estaduais, as quais eu defendo a extinção e acho que esta deveria ser uma bandeira de todos os advogados. 

Está na hora de extinguirmos o senado, eliminando o bicameralismo, reduzindo o número de deputados federais por Estado, e adotando medidas práticas urgentes: o voto distrital, o voto em listas, o financiamento público das campanhas e equiparar a corrupção a crimes hediondos.

Ontem, era apenas um sonho. Hoje, existem manifestações pipocando em todo nosso país, clamando por uma assembléia nacional constituinte, livre, soberana, autônoma e independente. 

Estava mais do que na hora de nosso curso de Direito local e nossa universidade abrir este debate. 

É a única forma de passarmos nosso país a limpo, de evitarmos a venezualização e de transferirmos para o povo e sua soberania sobre os rumos da nação. 


Blog de Políbio Braga e o debate sobre os filhos havidos fora do casamento

Conheça os filhos uruguaios que Olívio Dutra nunca reconheceu

O ex-governador Olívio Dutra tem dois filhos uruguaios que ninguém no RS sabia da existência até hoje. Eles vivem com a família em Montevidéu. O ex-governador nunca reconheceu-os. Na certidão de idade encontrada no 4º Cartório de Porto Alegre, consta o nome apenas da mãe, a ex-tupamara Inês Graziela Abelanda Buzo.

. Inês refugiou-se no Sindicato dos Bancários no início da década de 80, que na época era presidido por Olívio, que deveria protegê-la das ditaduras do Uruguai e do Brasília.

. Em vez disto, tornou-a sua amante, deu-lhe dois filhos e nem sequer foi ao cartório reconhece-los quando a moça foi registrá-los. Ela voltou a Montevidéu com a abertura do regime.

. Quem revelou a novidade foi o jornalista Vitor Vieira, que postou informações, documentos e fotos de mãe e filha no seu Facebook, indignado com o debate de ontem a noite na Band TV, ao ouvir a defesa que Olívio fazia da ampliação de políticas públicas para defender as mulheres, as famíliase  as crianças. .

. Se você quiser conhecer mais sobre a moça, clique no endereço que o jornalista disponibilizou na rede social:. http://vimeo.com/54739639.

CLIQUE AQUI para entrar no Facebook de Vitor Vieira e verificar documentos originais, fotografias e videos da família uruguaia de Olívio. 

- Amantes e filhos fora do casamento não costumam ser assunto da mídia brasileira, que adota a regra de não tratar de assuntos pessoais dos políticos. Não é assim quando o caso tem relação com figuras polêmicas ou muito competitivas. Foi isto que levou os jornalistas a desvendarem a existência de Lurian, filha que Lula teve fora do casamento, nunca reconheceu e só aceitou depois da denúncia feita pelo jornal O Estado de S. Paulo. Caso idêntico atingiu o ex-presidente FHC, que reconheceu um filho que pensou ter tido com uma jornalista da Rede Globo. Depois de adulto, morta dona Ruth, mulher de FHC, os filhos legítimos exigiram DNA e foi então que a jornalista tinha mentido para o ex-presidente. Ela foi sua amante, mas o filho não era de FHC. No RS, este caso de Olívio Dutra é o mais recente, mas não é o único. 

A controvérsia que ainda não teve solução

A área de Ernesto Alves tem 13.470 hectares. É o menor distrito de Santiago, com apenas 5.40% da área física total. O segundo distrito mais populoso seria FLORIDA, com 68.116 hectares. Tupamtuba teria 68.626 hectares e a sede do município 91.657 hectares. Contudo, esses dados são imprecisos. 

Afora Ernesto Alves, os demais são fruto de um levantamento "aproximado" promovido pelo engenheiro Dairton Lavandowiski,  Mesmo sobre Ernesto Alves houve uma diferença entre os números dele e os obtidos pelo laboratório da URI/Erechim. Para ele, a área de EA é de 12.890 hectares. Para o laboratório,  são 13.470. A diferença é de 580 hectares. 

A área total de SANTIAGO, incluindo cidade e distritos, o município, que é soma de ambos, teria entre 241 e 243 mil hectares. Até hoje não temos estes dados exatos. 

sexta-feira, abril 21, 2017

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Altamir Coceiro
Uma conversa reservada minha, no whattsapp, foi violada e distribuída em alguns círculos políticos de forma inescrupulosa, violando a intimidade do sigilo e minha própria individualidade.

O que se conversa, reservadamente, com uma pessoa, é pessoal, intimista. Infelizmente, como se trata de mim, vazaram o áudio.

Primeiro, existe uma grande injustiça com o nome de um irmão meu, evangélico como eu, pessoa decente, limpa, honrada e digna que é o Senhor Altamir Nunes Coceiro. Não é a ele que eu me referi e nem me refiro. Peço desculpas ao meu prezado amigo por este erro e ele soube compreender - perfeitamente - quando conversamos. 

Segundo, minha intimidade no whattsapp foi violada e tomarei todas as medidas cabíveis para descobrir de quem se trata. Apenas conversei com uma pessoa, era um diálogo reservado e pessoal. 

No meio disto tudo houve quem interpretasse que eu me referia ao amigo ALTAMIR NUNES COCEIRO. Não, jamais, este é uma das pessoas mais decentes e honradas que eu conheço. Não se trata dele, repito. 

O caso já está entregue as autoridades policiais e eu mesmo vou buscar a origem desse vazamento, mesmo que isso implique em eu interpelar o próprio whattapp do Brasil, como já fiz com o google.

Nisso tudo só lamento o envolvimento de uma pessoa inocente. 

Nome é nome. Existem centenas de pessoas que acham que eu sou irmão do falecido vereador Sérgio Prates. Não éramos absolutamente nada, não tínhamos nenhum parentesco. Apenas o mesmo sobrenome. Outro dia eu conversava com uma policial civil e a família dela tinha lhe contado que eu era vereador do PSDB. Eu nunca concorri a vereador. Sérgio Prates foi vereador do PSDB. Estas confusões existem, a ponto de uma policial comprar uma informação errada sobre mim. Totalmente errada. 


Abraços ao Altamir e sua família, meus irmãos e amigos.



Aniversariante do dia

Doce Ka ... quando éramos alguma coisa .... dizer que esta foto
foi improvisada no Mercado Damian.
Está de aniversário no dia de hoje a querida médica Karine Peixoto, motivo forte pelo qual rompo a linha tradicional do meu blog para prestar-lhe um justo reconhecimento, homenagem e congratulações públicas. 

Nina e Marquinhos

Prefeito Ivo Patias, Dra. Agnes Patias, Karine e todas
as loucuras. O mais certo aí é o Ivo, eu sou apenas
normal rsrsrsrsrsrsrs
A Karine, chamo-a apenas de KA, é uma dessas raras pessoas que vieram ao mundo com uma nobre missão: cuidar da vida e da saúde das pessoas. Por outro lado, Karine vive com nobreza, essa derivada da singularidade do seu coração. É uma pessoa bondosa, não fica alheia e nem se omite diante da dor das pessoas; a psiquiatria levou-a a conhecer os meandros da mente humana. Sabe entender-nos  em nossa extensão mais dramática, nos aspectos nobres e nos aspectos ruins, que todos nós temos, em maior ou menor grau. Uma profissional ética, dedicada e competente. 

Médica formada pela Universidade Federal de Pelotas, tem 3 anos de residência em Psiquiatria no Hospital São Lucas, da PUC, em Porto Alegre, pós-graduada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, seu currículo é admirável, e colocou toda essa bagagem de conhecimento e essa notável experiência, inclusive de Oficiala da Aeronaútica e do Exército, ao dispor da comunidade santiaguense e regional. 

Karine não é desse mundo, isso eu tenho certeza. Conheço-a. É uma dessas jovens que ama o pai, venera as tradições familiares e ancestrais, reverencia os mais velhos, aposta na família como um foco epicentral de amor. Em sociedades cada vez mais desajustadas, ela é um símbolo forte de aposta na unicidade familiar. 

Erudita, formação clássica, super-ultra educada, Karine é uma reserva moral da nossa sociedade, é claro, isso é produto da formação dos pais, do berço.

Fomos namorados, isso é púbico, hoje somos grande amigos. Karine, para mim, é um exemplo. Sempre cuidou a amou minha filhinha como se dela fosse, demonstrando despreendimento, compreensão, tolerância, pureza na alma e bondade no coração.

Hoje é seu aniversário e não poderia, em nenhuma hipótese, furtar-me de fazer esse reconhecimento público, desejar-lhe uma vida longa, exitosa e com seus sonhos realizados, concretizados. 

Karine, Luciana, eu e a Nina e Guilherme Bonotto (e as crianças do Guilherme
e da Psicóloga Luciana).
Grande companheira, embora anti-petista, anti-esquerda, figura singular. Eu não sou poeta, não sei escrever versos, sei apenas escrever, por isso, digo: 

FELICIDADES KA. EU HABITO NA MANSÃO DO AMANHÃ. VC ME ENTENDE.

Como já dizia o filósofos dos cornos, Amado Batista, nem tudo nesta vida é perfeito, a Karine também foi imperfeita: foi minha namorada e se incomoda com isso. Essa semana estive com ela, contei que só me envolvo com loucas, mas ela nem ta aí, o problema "é aquela de São Francisco". É claro, a gente se separou mais ficamos amigos, mas eu imagino que, como psiquiatra, ela sabe soube ler meu coração e aquele caso de São Francisco, impossível, mas verdadeiro, é o mais complicado aos juízos dela. Tentei explicar-lhe que meu coração agora tava aqui..."capaz, tu é engatado naquela louca casada lá de São Francisco"

Na noite passada, nos encontramos no Restaurante do Batista, o Fernando Pinto Peixoto e esposa, o Celso Amaral Pinto e a Edilse Rigon Pinto. No fundo somos todos parentes. Foi um encontro maravilhoso, rimos muito, falamos de política, de amores e, é claro, todos me perguntam da Karine. Não tenho explicações.


Só não sei como cheguei em casa. Expliquei para a Edilse, aquela doce pessoa, e o Celso é uma pessoa maravilhosa, um amor de pessoa, só janta no Batista, mas ele não se segura, vai na minha mesa, conversa, mata saudade, me abraça, age como um familiar (na verdade somos primos) mas sempre me pergunta dos amores e dos textos.

Só faltou a Dra. Marta Rigon Marchiori. A Marta é prima de Edilse. Daí estaria completo o quadro. 

Todos queriam saber o que houve comigo... é o efeito vinho. Expliquei que uma mulher me mandou um longa carta, pedindo um tempo existencial. Me deu vontade de quebrar o telefone. 

- A Karine

- Que Karine nada. 

- A Karine está no Uruguai. 

- Mas e o aniversário? 

- RSRSRSRSRSRSRSRSR

Expliquei que escreveria uma homenagem a ela. 

E como o tempo amanheceu de chuva, fiz as pazes com a Renata, após tanto tempo quebrado ... brigamos feio, mas como tá chovendo fizemos as pazes. Não quis comentar a mentira no facebook dela ... ela sabe que só eu sei...sobre as verdades e mentiras. Uma mentira. 

Ela e a Karine se criaram juntas. O pai e a mãe da Renata são médicos, mas ela preferiu as artes plásticas. Vive em Caxias do Sul, muuuuito bem casada. 

Ninguém acredita que eu me apaixonei, fulminantemente, por uma uma policial. Só vivi para ela até ontem a noite. 

Fiquei feliz por meus amigos, muito feliz. 


É isso aí Karine, viagens e elucubrações. Felicidades pelo teu dia, pelo teu aniversário. Somos todos amigos. O tempo passou, continuará passando, o que sobrará de nós, é o riso, a amizade, a fraternidade e o carinho que temos em nossos corações. 




quinta-feira, abril 20, 2017

Voltando

Estive ausente do blog por razões puramente profissionais. Precisei ir até Itaqui e ontem passai a tarde em Santo Ângelo, assuntos exclusivamente jurídicos e cheguei em Santiago perto das 23 horas. O cansaço não foi maior, graças a companhia do companheiro Giovani Diedrich, um grande motorista, afora ser um grande amigo e um ser humano fabuloso. 

Estou muito bem, graças da Deus, vivendo o melhor período da minha vida. 

Minha filhinha está bem, com os avós, em Maçambará, estou muito feliz com tudo. 

Existencialmente, estou bem. 

Contem todos comigo. E lembrem-se, eu não nasci de susto. 

Por outro lado, que chocante este caso de um pai estuprando uma criança. Imagino as consequências psíquicas na cabeça desta criança, marcará ela para o resto da vida.

Eu acho que larápio que estupra uma filha, uma criança, não tem tratamento, não tem cadeia. Pena que o Brasil não adote a pena da morte. Um cara que faz isso, vive num nível de doença sem volta. A volta, seria a pena de morte nestes casos.




segunda-feira, abril 17, 2017

Anunciado o fechamento da Farmácia Popular em Santiago

Vergonha para todos nós. Retrocesso. Os pobres que pagavam 6 reais por um medicamento na Farmácia Popular, agora vão pagar 60 reais nas farmácias comerciais.

Tudo acontece com a complacência dos nossos políticos, que dizem defender os interesses do povo.

Ninguém fala nada. O silêncio é mortal. Cumplicidade, omissão. Perder uma conquista histórica como esta, é o maior retrocesso na saúde local e regional. 

O corte também atingiu os medicamentos básicos, que estão em falta. O caos atingiu a saúde pública. De nada adianta médicos e ESFs se não tem remédios. 

POUCA VERGONHA. 

De Nina para Júlio, com amor


Avaliando bem minha vida, refletindo muito, ouso concluir que essa foi a melhor Páscoa de minha existência.

Sábado sai cedo de casa. Peguei a estrada e fui buscar minha filhinha em Maçambará. Nina me recebe de braços abertos, beijos e mais beijos.

Quando saio da frente da casa, ela sorri sem parar, abraça-se em meu braço, acaricia minha cabeça, passa a mão nos meus ralos cabelos ... está vibrante, feliz, eufórica. 

Tudo é festa; alegria, felicidade e satisfação.

Almoços, jantas, cinema, passou a tarde com os tios, Agenor e Loreti, gravou vídeos, fez artes, divertiu a todos. 

Um grande sociólogo

Sociólogo Leandto Larssen
Volto meu coração, hoje, ao Vale do Sinos, especialmente a Novo Hamburgo, onde tenho um extenso grupo de amigos e colegas de aula do curso de sociologia. 

Aniversaria no dia de hoje, o sociólogo Leandro Larssen, um dos maiores especialistas em política habitacional urbana, foi secretario municipal de habitação de Novo Hamburgo, um socialista da gema e, especialmente, um grande amigo meu, sobretudo, um Amigo meu.

Na formatura da nossa turma, onde Leandro foi o orador, tive a honra de ser o homenageado em seu discurso. Foi algo muito marcante e as recordações dos meus amigos e companheiros do Vale do Sinos, do Paranhana, até Nova Petrópolis e Caxias, estão muito presentes em minhas memórias. Conheci pessoas de caráter, gente reta, de grande dignidade.

Quando chego em Novo Hamburgo, sinto-me praticamente em casa, o Leandro sempre me espera com alegria. É um ser humano raro e o dia de hoje é objeto de alegria de todos nós. Embora eu tenha voltada a minha cidade natal, o vínculo que ficou é fortíssimo, será eterno. 

Ainda ontem a noite eu contava para a Mara das nossas histórias no Vale do Sinos, no CEDOPE, na FEE, na sociologia da UFRGS, da Unisinos e da Salete Bavaresco e da Andrea Gogan, com a turma da PUC. 

Somos da velha geração de sociólogos. A todos meu abraço, meu carinho, obrigado por me lerem aí no Vale e pela relação estreita que meu blog propiciou com meus amigos nestes anos todos. 

Felicidades Leandro Larssen.

domingo, abril 16, 2017

Nossas vidinhas

Nina com sua cestinha de Páscoa. Ovos, chocolates e amor do papai.
Almoço de ontem no Restaurante do Batista. Companhia amável do nosso querido amigo Pastor Dionísio Mello da Costa.Uma foto para a história. Dionísio é grande advogado criminalista e um humanista.

Jantar cedo no Batista, antes da sessão A BELA E A FERA. 

Velha paixão por estrogonofe

Na viagem, fotografando o papai
Nina fotografando o papai, jantar de ontem a noite no Restaurante do Batista, onde sempre fizemos nossas refeições, escolha pela qualidade, eficiência, bons serviços, atendimento impecável e padrão de primeiríssima qualificação.

No Cinemax, preparando para assistir a Bela e a Fera. O  filme é lindo, trilha sonora impecável, muitos efeitos especiais, uma mensagem rica e criativa, porém, longo demais e enfadonho para nossas crianças. Ainda sobrou espaço para uma pipoquinha com H2O.

Cena final. Perto das duas horas da manhã, tomou um banho quentinho e, finalmente, repousou. Eu canto para ela dormir. Abraça-se nos meus braços, dormiu no meu peito, uma serenidade e uma mansidão divinos. 

sábado, abril 15, 2017

NOTA DE ESCLARECIMENTO E UMA BOA PÁSCOA PARA TODOS

Foto: hoje, as 11 hs da manhã
Fiz uma manifestação restrita ao meu pequeno círculo de amigos, no facebook, acerca de minha intenção de não voltar a escrever.

Tenho recebido apelos, quase inacreditáveis, de vários Estados da federação e de leitores meus em outros países, especialmente dos EEUU, Itália, Alemanha, India e Israel, dentre outros, em menor número.


Fiquei sensibilizado com os apelos de pessoas que queriam copiar matérias, me pediram isso, razão pela qual, entendi ser conveniente deixar o blog aberto.

É Páscoa, estou com minha filhinha e não vejo óbices em deixar o sistema aberto, embora minha vontade objetiva continue a mesma. 

Desejo a todos os meus amigos, amigas, leitores e leitoras, uma boa Páscoa, muita reflexão e interação afetiva.